Sindicombustiveis-al

25/11/2021

A Enel, maior empresa de distribuição de energia e geração solar e eólica do país, anunciou que pretende investir 5 bilhões de euros (ou cerca de R$ 31 bilhões) no Brasil entre 2022 e 2024

O valor representa pouco mais da metade do total de recursos que serão destinados para a América Latina no período pelo grupo italiano.

Em videoconferência, executivos da empresa destacaram que os investimentos globais para os próximos três anos em todo o mundo somam 42,6 bilhões de euros (cerca de R$ 282 bilhões), volume que vai triplicar a capacidade renovável do grupo no mundo até 2030, chegando a 154 GW.

Abandono do carvão até 2040
A empresa anunciou ainda a saída de segmentos de geração de energia a partir do gás natural e do carvão no mundo até 2040. Com isso, pretende antecipar em dez anos a meta de zerar suas emissões de carbono, que passou de 2050 para 2040.

No Brasil, a Enel tem mais de 18 milhões de clientes finais nos Estados de São Paulo, Ceará, Rio de Janeiro e Goiás através de suas distribuidoras locais de energia. É ainda o maior operador de energia solar e eólica do Brasil em termos de capacidade instalada.

O anúncio do investimento da companhia para o Brasil ocorre em meio à maior crise hídrica do país nos últimos 91 anos. No evento, ao destacar que o Brasil já passou por outros momentos de falta de chuvas, o CEO global da Enel, Francesco Starace, disse acreditar que o pior já passou.

– A atual crise hídrica no país não é a primeira e acreditamos que o pior tenha passado. As autoridades regulatórias têm gerenciado bem o tema e ajudado as distribuidoras a superar os desafios. E relação a como o país pode mitigar os efeitos da seca, quanto mais energia renovável eólica e solar nós colocarmos neste mix de geração, mais livre o Brasil se torna desta dependência do ciclo hidrológico – disse ele.

Amanhã, a companhia inaugura na Bahia o parque eólico Morro do Chapéu Sul II, que vai ser capaz de gerar 1.800 GWh de energia por ano, o que equivale ao consumo de cerca de 500 mil residências brasileiras.

– O que estamos fazendo é colocar cada vez mais renováveis com diferentes tecnologias, reduzindo o risco de novas secas no futuro – afirmou Starace.

No evento, o diretor financeiro da Enel, Alberto de Paoli comentou que os investimentos previstos para o Brasil estão em linha com o plano estratégico anterior, mas pode sofrer algumas variações por ser apenas uma indicação de investimento.

Até 2030, a companhia pretende investir ao todo 210 bilhões de euros, dos quais 170 bilhões de euros investidos diretamente pelo Grupo Enel, o que representa alta de 6% sobre o plano anterior. Outros 40 bilhões de euros serão feitos por terceiros.

Segundo Starace, a próxima década será a da eletrificação. Segundo ele, o foco no próximos 10 anos será a substituição de outras fontes de energia, como o petróleo, para fontes mais limpas para gerar energia eletrica, inclusive em setores como o de transportes.
Autor/Veículo: O Globo

Categories: noticias