Sindicombustiveis-al

Por 7Segundos

Em discurso realizado na Câmara dos Deputados, o deputado federal Marx Beltrão (PSD/AL) reforçou sua luta por uma política de preços para os combustíveis por parte da Petrobrás que seja capaz de reduzir urgentemente o preço da gasolina, do diesel, do etanol e do GNV em todo o país.

Segundo especialistas, as altas nos preços dos combustíveis refletem a recuperação das cotações internacionais do petróleo depois de terem derretido no início da pandemia, com forte auxílio da alta do dólar, que desde o início da pandemia ficou abaixo de R$ 5 apenas por sete dias, em junho último.

Marx Beltrão declarou que seu voto será favorável ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 11/20, que prevê a incidência por uma única vez do ICMS sobre combustíveis, inclusive importados. Atualmente, o imposto é recolhido em geral na origem, e as alíquotas são diferentes nos estados e no Distrito Federal e variam também conforme o tipo de produto – na média das regiões metropolitanas, são de 14% para o diesel e 29% para a gasolina, por exemplo.

Entretanto, Marx deixou claro que somente aprovar o PLP 11/20 não é suficiente.

“Continuo engajado na luta contra os aumentos absurdos da gasolina, álcool e gás no Brasil, por isso apoiei no plenário o PL que propõe valor fixo do ICMS dos combustíveis, mas, também reforcei o quanto a Petrobrás precisa rever suas políticas de preços, que só beneficiam os acionistas, penalizando assim a maioria dos brasileiros”, ressaltou.

Marx Beltrão frisou que a Petrobras pertence ao povo brasileiro e atrelar o valor do combustível ao valor do dólar está forçando a alta de preços e prejudicando a população. “A Petrobras não pode seguir com este mecanismo de reajuste e precisa rever esta prática”, afirmou o parlamentar.

Novo aumento

E mais uma vez em 2021 a gasolina e o gás de cozinha ficaram mais caros para as distribuidoras. O novo aumento praticado pela Petrobras a partir do último sábado (9) foi de 7,2% em cada produto.

Segundo a companhia, o preço médio da gasolina passou de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, refletindo reajuste médio de R$ 0,20 por litro. Para o GLP, o preço médio passou de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, equivalente a R$ 50,15 por botijão de 13kg, refletindo reajuste médio de R$ 0,26 por kg.

De acordo com os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados na sexta-feira (8) pelo IBGE, no acumulado nos últimos 12 meses até setembro, a gasolina subiu 39,6% no país e o gás de botijão avançou 34,67%.

Categories: noticias