Sindicombustiveis-al

O Lide RS, Grupo de Líderes Empresariais do Rio Grande do Sul, promoveu mais uma edição do Lide Talks. Como o evento agora é on-line, em razão da Covid-19, ele foi realizado das 12h às 13h30min e transformou o momento do almoço em um encontro de ideias.

O presidente da organização, Eduardo Fernandez, mediou um debate sobre os desafios e os cenários do setor de combustíveis para 2020. Participaram o diretor da Rede Buffon, Ildo Buffon; gerente executivo comercial da região Sul da rede Ipiranga, Marcio Burtet, e o presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do Rio Grande do Sul (Sulpetro), João Carlos Dal’Aqua.

Dal’Aqua destacou como o setor de combustíveis é importante para a população e economia do Rio Grande do Sul. Mas deixou claro, que apesar da tranquilidade que o Estado teve na condução da pandemia até o momento, sem impor grandes restrições aos postos, o movimento reduziu bastante. As vendas estão no patamar semelhante a março de 2011, com uma queda de 17% no mesmo mês neste ano.

Já os meses de abril e parte de maio já contabilizaram queda de 23% na gasolina e de 17% na venda de diesel. “Isso está trazendo uma nova realidade. Estamos andando numa neblina. Os desafios são postos para ser superados”, sintetiza.

O presidente da Sulpetro lembrou também que nunca se teve na indústria petrolífera uma combinação de redução de consumo e diminuição do preço do produto. “Nosso setor terá muita mudança. E seria o primeiro a perceber isso. Os postos passarão a buscar novos espaços para sobreviver. Neste momento, precisamos ter serenidade para buscar sobrevivência”, recomenda.

Greve dos caminhoneiros
A greve dos caminhoneiros, ocorrida em meados de 2018, acabou deixando a expertise em situações desafiadoras, como a atual, segundo o diretor da Rede Buffon, Ildo Buffon.

“Um desafio bastante grande, mas nos prepararmos para isso. Então, em março, nos primeiros sintomas já estávamos atuando. Traçamos um plano de ação, com medidas tomadas do dia para a noite, assim que soubemos que estaríamos abertos por sermos essenciais. Também nos preocupamos com nossos funcionários, com a segurança deles, com a saúde deles e para termos condições de atender nossos clientes”, conta. A Buffon possui cerca de dois mil funcionários.

Projeção
A projeção, segundo o diretor da Buffon, é que o setor encolha e fique 80% do que era. Para encarar estes novos tempos, Burtet, da Ipiranga, disse que é necessário também se reinventar. “A Ipiranga deixou de ser uma distribuidora de produtos para ser uma plataforma de negócios, de conveniência, que facilita o dia a dia das pessoas. Isso ajudou neste momento”, frisa.

O gerente também disse que o plano de enfrentamento à Covid-19 se focou em sustentar a operação, mantendo os colaboradores seguros e saudáveis. Também ressaltou as ações da companhia, que segundo Burtet, tem DNA gaúcho, e quer deixar uma herança à sociedade. “Fizemos a doação para a ampliação do Hospital Independência, em Porto Alegre, para simplesmente ficar um legado para o Rio Grande do Sul”, conclui.

A iniciativa tem a parceria da Gerdau, Hospital Moinhos de Vento, e Grupo Zaffari com a Prefeitura de Porto Alegre para a construção de um centro de tratamento de combate ao novo coronavírus.

O hospital contará com um investimento total de R$ 10,4 milhões para a construção, sendo que a maior parte será realizada por Gerdau e Ipiranga, com R$ 4,2 milhões cada, enquanto o Grupo Zaffari aportará R$ 2 milhões. A unidade terá 60 leitos construídos em área do hospital, na Avenida Antônio de Carvalho.

Categories: noticias