Sindicombustiveis-al
 
Agência CNT de Notícias
 
Aerton Guimarã;es
 
O Porto de Santos é o maior e mais importante do país. Na cidade portuária estima-se que circulem cerca de seis mil caminhões, responsáveis por levar e descarregar dos e para os navios mercadorias fundamentais para a economia brasileira. No entanto, esse transporte tem sido prejudicado pela idade avançada dos veículos.
 
Para mudar esse cenário, o governo de Sã;o Paulo implantou o Programa de Incentivo &agrave Renovaçã;o da Frota de Caminhões (Renova SP). Os veículos sã;o financiados pela Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP) e contam com juros zero &ndash o subsídio é do estado.
 
O projeto piloto começou na cidade de Santos. &ldquoDos seis mil caminhões da regiã;o, quase metade ou têm mais de 30 anos ou estã;o bem próximos de chegar a essa idade. O Renova SP foi muito bem recebido pelo caminhoneiro, ele está tendo uma oportunidade única. Se antes as prestações de um veículo novo chegavam a R$ 6 ou R$ 7 mil, hoje é possível comprar, com esse programa, pagando R$ 3 mil por mês&rdquo, disse o vice-presidente do Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira (Sindicam-Santos), Clayton Domingues de Oliveira, &agrave Agência CNT de Notícias.
 
Qualidade de vida
Segundo o Departamento Estadual de Trâ;nsito de Sã;o Paulo (Detran-SP), cerca de 30% dos 610 mil caminhões registrados junto ao órgã;o têm mais de 30 anos e nã;o respeitam as regras de reduçã;o de emissões, prejudicando a qualidade do ar, o trâ;nsito e a vida dos profissionais do setor. O foco do Renova SP sã;o os caminhoneiros autônomos e pessoas jurídicas enquadradas como microempreendedores individuais que prestam serviços no Porto de Santos, limitando o financiamento a um caminhã;o por beneficiário. Sã;o financiados a aquisiçã;o de caminhões, chassis, caminhões-tratores e cavalos mecâ;nicos.
 
&ldquoOs caminhoneiros terã;o 96 meses para pagar e nã;o pagarã;o juros. Esse programa da Desenvolve SP é pioneiro com foco na melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida do motorista. Todos os caminhões novos sã;o certificados e os velhos serã;o reciclados ou destruídos pra que nã;o voltem a poluir&rdquo, explicou o governador Geraldo Alckmin (foto abaixo, no centro) durante a entrega simbólica de veículos no dia 23 de março, em Santos. O prazo de carência é de seis meses.
 
O programa Renova SP prevê que o novo caminhã;o financiado seja da fase P7 do Programa de Controle de Poluiçã;o do Ar por Veículos Automotores (Proconve). Essa fase é mais conhecida como Euro 5, e os veículos que se encaixam nesta categoria sã;o menos poluentes que as anteriores. Além disso, o governo de Sã;o Paulo também estipula que o veículo antigo seja retirado de circulaçã;o e suas peças totalmente inutilizadas e recicladas por empresas especializadas e licenciadas pela Cetesb e participantes do programa. Os recursos sã;o da Linha BNDES Pró-caminhoneiro com a equalizaçã;o dos juros feita pelo governo do estado.
 
O interessado pode simular seu financiamento diretamente no site da Desenvolve SP para saber exatamente quanto irá pagar em cada parcela. De acordo com o sindicato dos autônomos, o governo deve financiar, com essas taxas especiais, mil caminhões. &ldquoA procura está bem grande. Os caminhoneiros, para aderir ao programa, têm que nos procurar. Já estamos com uma lista de 250 a 350 pedidos encaminhados para aprovaçã;o da linha de crédito. Até agora, 30 financiamentos já foram aprovados pelo Renova SP&rdquo, explicou o vice-presidente do Sindicam-Santos, Clayton Domingues. Há, inclusive, uma cartilha para tirar a dúvida dos profissionais.
 
Benefícios
Para o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Sã;o Paulo e Regiã;o (Setcesp), Manoel Sousa Lima Jr, os benefícios com a adoçã;o do Renova SP sã;o indiscutíveis. &ldquoOs caminhões velhos que circulam em Santos causam uma série de prejuízos, quebram constantemente, interditando o acesso aos portos, exigem maiores gastos com manutençã;o, isso sem falar da poluiçã;o excessiva&rdquo, reforça.
 
Segundo ele, o programa para renovaçã;o de frota deve ser estendido. &ldquoOs transportadores também precisam de mais facilidades, nã;o vamos esperar que os caminhões cheguem a 30 anos para renovar. Hoje temos uma idade média de 18 anos, mas claro que queremos reduzir isso, chegar a uma média de cinco anos. O Pro-caminhoneiro, do BNDES é um bom programa, mas há muita burocracia, ele é muito insípido. é preciso facilitar o crédito para incentivar o setor&rdquo, reivindica Sousa Lima.
 
RenovAr
Desde 2009, a Confederaçã;o Nacional do Transporte (CNT) dialoga com o governo federal para a implantaçã;o do Plano Nacional de Renovaçã;o de Frota de Caminhões &ndash RenovAr. O projeto considera mecanismos econômicos, financeiros e fiscais, com ênfase num programa especial de crédito ao caminhoneiro e retirada de circulaçã;o dos veículos velhos.
 
Para a CNT, a implantaçã;o do Renova SP é considerada uma grande conquista que deve ser estendida a todo o país. O RenovAR e o programa em vigor em Santos possuem vários pontos semelhantes e que podem se tornar referência sobre o tema para o restante do Brasil. Investir na renovaçã;o da frota tem como consequência direta a modernizaçã;o do transporte, impulsionando a economia nacional.
 
 
Simulador
A CNT oferece, ainda, um simulador de financiamentos. Com a ferramenta, o usuário faz a simulaçã;o de compra de caminhões e implementos rodoviários (novos ou usados).
 
O sistema é simples e fácil de usar. Ele calcula o valor da prestaçã;o mensal do financiamento e permite que o transportador compare, ao mesmo tempo, até quatro linhas de crédito diferentes. Ele apresenta as condições de entrada, prazos para pagamento, taxa de juros e carência de cada programa de financiamento, inclusive do Programa Procaminhoneiro.   
 

 

Categories: noticias