Sindicombustiveis-al

Isto É Dinheiro

15/03/2019 – A produção de petróleo global continuou a diminuir em fevereiro, graças a cortes na oferta da Arábia Saudita e Venezuela, que integram a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), segundo a Agência Internacional de Energia (AIE).

Em relatório mensal divulgado hoje, a AIE estima que a produção mundial da commodity sofreu queda de 340 mil barris por dia (bpd) no mês passado, a 99,7 milhões de bpd. O número, porém, ainda ficou 1,5 milhão de bpd acima do nível de fevereiro de 2018, ressaltou a agência.

A Opep como um todo cortou sua produção em 240 mil bpd em fevereiro, a 30,68 milhões de bpd, o menor nível em quatro anos.

Apenas a Arábia Saudita, líder informal da Opep, reduziu a oferta do mês passado em 100 mil bpd, a 10,14 milhões de bpd. O relatório aponta que a produção saudita recuou 920 mil bpd desde os níveis recordes que atingiu em novembro do ano passado.

No fim de 2018, a Opep e aliados liderados pela Rússia decidiram reduzir sua produção em 1,2 milhão de bpd durante o primeiro semestre de 2019, como parte de uma estratégia para conter a oferta global excessiva e impulsionar os preços do petróleo. A Opep se responsabilizou por um corte de 800 mil bpd e os aliados, pelos demais 400 mil bpd.

Mas a produção da Opep também foi influenciada pelo resultado da Venezuela, onde a oferta registrou declínio de 100 mil bpd em fevereiro, para 1,14 milhão de bpd, volume 410 mil bpd menor do que o de um ano antes. Além de enfrentar uma grave crise econômica, a Venezuela está sob sanções dos Estados Unidos.

Ontem, a Opep divulgou seu próprio relatório mensal, que mostrou queda de 221 mil bpd na oferta do cartel em fevereiro, também por causa da Arábia Saudita e Venezuela.

A AIE, entidade com sede em Paris que presta consultoria a governos e empresas sobre tendências do setor de energia, também reiterou sua projeção de avanço na demanda global por petróleo em 2019, em 1,4 milhão de bpd.

Com informações da Dow Jones Newswires.

Categories: noticias